terça-feira, 17 de março de 2009

Fernando Pessoa - 1934

Como é por dentro outra pessoa
Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Com que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento.

Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição de qualquer semelhança
No fundo.

3 comentários:

VJ disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
VJ disse...

Olá Helena! Eu sou o Victor! Escrevo no blog com o Josafá e o Rapha! Comecei semana passada com o texto Desarmonia. Agradeço os comentários positivos! Demonstram que manifestarmos o que sentimos é um caminho positivo.
Gostei muito do seu blog e suas percepções!

Um abraço,

Victor

Ricardo Kersting disse...

A intenção deste texto de Fernando Pessoa é destacar que sempre partimos da premissa que não sabemos nada da alma de outrém, o que não nos impede de sonhar que iremos encontrar semelhanças, isso nem sempre é verdadeiro.As semelhanças começam e param em nós mesmos. Beijos