quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Encostei-me

(Poesia de Alvaro de Campos - Fernando Pessoa)


Encostei-me para trás na cadeira de convés e fechei os olhos,

E o meu destino apareceu-me na alma como um precipício.

A minha vida passada misturou-se com a futura,

E houve no meio um ruído do salão de fumo,

Onde, aos meus ouvidos, acabara a partida de xadrez.

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Estética




O termo vem da palavra grega aisthetike, que significa sensível. Daí já se entende que a percepção estética depende do tipo ou nível de sensibilidade daquele que observa, trazendo em si um fator limitante ou não de acordo com a pessoa. O feio e o belo perdem-se em questões já muito discutidas, mas o que prevalece, o que realmente importa é se o observador teve o que chamam de “enlevo”. Esse é denominador, é o que realmente vai dizer ao que contempla uma obra, se a mesma merece ser chamada assim. O resto fica por conta do blá, blá, blá da curriola do mercado de arte.


A partir do momento que entra a questão dinheiro, se perde a poesia. Daí já não se contempla, se avalia, já não se sente mas se cobiça.

No blog de novo

Meu silêncio tem a ver com vários fatores, o mais preponderante foi o tempo. Minha vida esse ano teve sua rotina modificada e, infelizmente, para pior......

o melhor de uma situação ruim é saber que não durará para sempre, ou pelo menos eu não durarei para sempre...rsrss O importante é que hoje tive um tempo para voltar a pensar um pouco para escrever e escolher uma bela foto da Toscana.