quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

Particularizando


É muito importante sabermos priorizar nossa família. Ela não é um lugar para se estar, mas sim onde decidimos guardar nossos mais importante sentimentos, ações e sensações, como: amor, alegria, dedicação, felicidade, doação, gratidão, retribuição e gratuidade de ser e estar.

Vivermos a família não é fácil pra ninguém. É laborioso o artesanal cuidado com o outro, evitando o que não se deve falar, prevendo o que se precisa e ao mesmo tempo conseguindo saber o porque é importante nos preocuparmos com todos esses detalhes....levar carinho e compreensão àqueles que fazem parte da nossa estória de vida.
Estamos sempre aprendendo, ora através das “mancadas” ora por um elogio e de vez em quando por puro repentismo. Mas nossa vivência familiar sempre nos guiará para um aprendizado essencial e perceptivo, partindo da necessidade de retribuirmos e compartilharmos nossos pontos fortes para que os outros tragam suas forças às nossas fraquezas.
Não chegamos a individualidade sem a experiência com o grupo, sem a identificação com os outros. Precisamos primeiro do “todo” para então nos particularizarmos.

sexta-feira, 16 de janeiro de 2009

Pagu - Rita Lee




Mexo remexo na inquisição
Só quem já morreu na fogueira
Sabe o que é ser carvão
Eu sou pau pra toda obra
Deus da asas à minha cobra
Minha força não é bruta
Não sou freira nem sou puta

Nem toda feiticeira é corcunda
Nem toda brasileira é bunda
Meu peito não é de silicone
Sou mais macho que muito "home"

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

Intervalo


Desaba a chuva nos campos,
Embalada pelo vento, fecho os olhos.

O cheiro da terra invade a alma
Nascendo em mim nova luz.

Me transporto para um lugar comum,
Que todas as lembranças ancestrais nos levam...

Como o cheiro da pessoa amada,
Dos travesseiros, das flores e pedras,
Dos sentimentos que teimam em não voltar.

Nesse momento íntimo,
Encontramos a essência e a verdade
Que habitam em nós.

Simplesmente felicidade....

E quando voltamos a perceber o tempo,
Os ruídos à nossa volta,
A magia terminou.

Novamente trilhamos a rotina,
Embotados nos limites estipulados por nós.

Brilho


“Não faça do hábito um estilo de vida!” (Edson Marques)


A ousadia é o combustível inical que se precisa para trazer certo brilho às nossas vidas. Ao nascer de cada dia deve-se calar a mente que cisma em encher-se de lixos variados: arrependimentos passados, medos, traumas não resolvidos e ansiedades sem sentido. Quando se consegue tranquilidade e clareza de pensamento abre-se espaço para uma produção espontânea e criativa de boas soluções para as situações diárias.

Mudar é, muitas vezes, sair do “lugar” mental e não do físico. Buscar sempre algo que venha a complementar-nos como seres humanos: algo que ainda não se aprendeu, o desafio à personalidade ou simplesmente saltar ao novo sem medo do abismo.

Edison Marques foi muito feliz na frase em epígrafe, ele consegue dizer claramente que não se deve colocar a vida sobre trilhos, corre-se o risco de se perder o melhor dela.

Nossa vida é exatamente aquilo que fazemos dela!

quinta-feira, 8 de janeiro de 2009


Aos poucos vamos aprendendo que não “devemos” ganhar todas. Amar tem a ver com querer ver o outro feliz, por outro lado, não comprometendo a própria felicidade em prol disso. Tudo deve ser compartilhado, inclusive as escolhas. Sendo assim, alcançar o equilíbrio é bem difícil, requer percepção do que realmente é importante para nós e para o outro.

Sentimentos - Fernando Pessoa (1933)

Tenho tanto sentimento
Que é freqüente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.

Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.

Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.

terça-feira, 6 de janeiro de 2009

Luz e Mistério - Beto Guedes


Oh! meu grande bem
Pudesse eu ver a estrada. Pudesse eu ter
A rota certa que levasse até dentro de ti

Oh! meu grande bem
Só vejo pistas falsas. É sempre assim.
Cada picada aberta me tem mais fechado em mim.

És o luar. ao mesmo tempo luz e mistério.
Como encontrar a chave desse teu riso sério

Doçura de luz. amargo e sombra escura
Procura em vão.
Banhar me em ti e poder decifrar teu coração
És o luar. ao mesmo tempo luz e mistério.
Como encontrar a chave desse teu riso sério
Grande mistério meu bem, doce luz.
Abrir as portas desse império teu
E ser feliz

domingo, 4 de janeiro de 2009


"Dissemos que a liberdade negativa por si mesma torna o indivíduo um ser solitário, cujo relacionamento com o mundo é distante e desconfiado e cujo ego é fraco e está constantemente ameaçado. A atividade espontânea é o único meio pelo qual o homem pode vencer o terror de sua solidão sem sacrificar a integridade de seu ego; pois, na realização espontânea do eu, o homem se une de novo ao mundo - ao homem, à Natureza e a si mesmo. O amor é o principal componente dessa espontaneidade; não o amor encarado como a dissolução do eu em uma outra pessoa, nem como a posse de outra pessoa, porém o amor como a afirmação espontânea de outros, como a união do indivíduo com outros na base da conservação do ego individual.


Em toda atividade espontânea, o indivíduo abraça o mundo. Não só o seu eu individual permanece intacto; ele fica mais forte e mais consolidado. Pois o eu será tão forte quanto for ativo."(Erich Fromm - O Medo à Liberdade - 1941)