quinta-feira, 5 de março de 2009

100% Tudo e Nada


Não existe pessoa humana 100% honesta, 100% sincera, 100% ética, 100% alguma raça (estamos todos miscigenados não adianta querer levantar bandeira étnica, seja ela qual for) ou qualquer outro 100% .

Isso faz parte da condição humana, dinâmica, questionadora e melhor, que muda constantemente em vários sentidos de seu existir. Qualquer coisa diferente dessa miscelânea que nos tornamos é venda de imagem ou às vezes pior, da alma.

Por outro lado não podemos nos distanciar dos princípios básicos e universais, existindo cada vez mais precariamente em nossa sociedade. Vemos desculpas de todo o tipo para justificar os abusos. Trabalhando nosso caráter dentro desses pilares e passando-os para as próximas gerações, estaremos fazendo não só a “nossa parte”, como também ajudando na manutenção da estrutura de nosso viver, que é a sociedade. Lembro que essa incumbência é da família, pois a escola não é a responsável por isso, mesmo trabalhando esses conceitos.

Somos todos como icebergs, temos uma pequena parte de nós à mostra, porém a maior está oculta sob uma série de conceitos, preconceitos, tabus, medos, ansiedades, religiosidades, complexos etc. Necessariamente a parte oculta não é negativa, muitas vezes escondemos tesouros também. Muitos homens vêm a sensibilidade como fraqueza, mal sabem eles como é sedutora. A criatividade se esconde muitas vezes na rotina e no trabalho automático. E o mais importante, a nossa vida interior, todinha está lá e poucos a exercitam.

Ser ou não ser essa não é a questão. Tentemos algum equilíbrio, talvez o famoso “caminho do meio” para servir como parâmetro em nossas opções do dia-a-dia. Pense em quanta coisa bonita você tem para mostrar...e revele-as ao máximo!

6 comentários:

Mara faturi disse...

Belo e coerente texto; gostando de passear por aqui,
bjo

Ricardo Kersting disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
LiLi disse...

Amiga, que beleza de texto!
Q BOM poder falar isso p mundo!
Saudades de vc... vc sumiu!
Esta é a Helena - uma jóia rara!

Rapha disse...

sinto que seja por aí, mas sinto nessa mistura que somos uma coisa mais funda ainda que qualquer comparação.Engraçado é que a pouco tempo pensei exatamente nessa pureza que só existe enquanto nos damos conta que o puro é a junção juntinha de tudo.
Na conexão!
Abração!
Realmente: "Não somos, oscilamos."

ADiniz disse...

Existe uma frase que gosto muito,
"quando eu mudo o mundo muda".
Partindo deste conceito,se começa a ter responsabilidades sobre os nossos pensamentos, logo, nossas atitudes, não havendo mais possibilidades de justificativas conjugadas a terceria pessoa.
Efeito dominó,pode ser bom e não.

Muito interessante seu texto.
Abraços.

Ricardo Kersting disse...

Helena, lutei bravamente para ficar longe deste texto e seu espaço para comentários, mas como vês, não resisti! Alguma força muito forte me atraía, como a luz da vela e o besouro. A chance de ser queimado é iminente..
Pensei muito no que escrever e que fosse alguma coisa coerente em que pudesses acreditar 100%. Mas nunca me sentia 100% seguro! Agora não importa mais se haverá tanta credibilidade, até concordo contigo, ninguém é 100% coisa alguma, entretanto eu acredito muito no equilíbrio! Essa deveria ser a nossa meta, não precisa 100% em nada. Siceramente eu gostaria de ser isso em alguma coisa, mas por enquanto fico sendo 100% vivo, até o dia em que ficar 100% morto.
Beijos 83,5%