quinta-feira, 19 de março de 2009

Dualidades



Conversando com amigos sobre como essa crise internacional chegou a esse ponto mórbido, tentamos decifrar o que o ser humano está fazendo com sua raça e consequentemente com o mundo. Talvez, das contribuições negativas, o problema mais grave seja o quanto o homem deixou de pensar por si mesmo. Passou a seguir somente o que desce “goela” abaixo, vindo dos meios de comunicação. Não existe área que as pessoas não queiram uma “receita e bolo” para o sucesso (profissional, estética, afetividade etc) e o enriquecimento rápido.

Sabemos que vivemos dualidades nessa nossa existência... onde há muito sol, chega a hora oportuna de vir a chuva, mesmo o amor tem seus momentos de ódio e tensão. Um oposto valida o outro. Quando temos uma sociedade sadia eles se misturam mas o positivo deve prevalece.

Presenciamos dia-a-dia a inversão de valores, será que chegaremos ao ponto de não existir mais a honestidade, só a “Lei de Gerson”? Será que a mentira será a base para as relações humanas e a sinceridade um lapso de comportamento? Caso isso aconteça um dia, penso que não será ruim de todo pois, não confiando em ninguém e em nada, as pessoas terão que pensar por si mesmas, irão criticar a informação que chega e buscar a que não chega. Isso trará uma contribuição individual positiva que, com o tempo irradiará para o mundo. As pessoas se recolherão e buscarão seu auto-conhecimento, e isso trará luz para nascer uma nova sociedade. Como já falamos, ninguém é só bom ou ruim, buscando o conhecimento de si mesmo o homem enxergará seu poder de auto-controle e por livre arbítrio irá escolher o quanto estimulará as sementes positivas e negativas que possui...nascendo uma nova dualidade.

2 comentários:

Rapha disse...

sendo sincero mesmo aceitando o que a de perfeito nesta imperfeição de todos os nossos gestos vitais, e não falo só dos seres humanos, falo de tudo dos bichos, das pedras, das águas, dos ventos, deste computador e de tudo que está em vida...Que delílicia saborear e ir digerindo este seu texto herói ô Helena é teu nome né?
Continue nessa conexão palavreada sempre que eu senti lendo teu texto que não há nada que nos divide... a não ser as aparências que nos enganam mesmo...
Beijo virtuo real pra ti!
Que gozo eu tive!
Continue
Continue
POSITIVO NA TRILHA DO HERÓI!
DA HEROINA!

Helena Erthal disse...

Rapha,
Obrigada pela visita/comentário!
De vez em quando passo um tempinho no "Grão" também.

abraços