terça-feira, 7 de abril de 2009

Tentativa & Erro


É gostoso desenvolver nossos planos, sejam relativos ao lado profissional ou pessoal, é algo que emociona e entusiasma qualquer um. Pensamos nos detalhes, procuramos mais informações sobre o tema, fazemos esquemas, organizamos etapas. Percebemos que cada detalhe nos aproxima um pouquinho daquele almejado objetivo.

Só que muitas vezes não fazemos o principal, nos lançar ou mesmo finalizar. Pensamos que o dia chegará, mas será que conseguiremos nos desvencilhar das “conveniências”, do “porto seguro”, dos obstáculos? São questões bem difíceis, pois encerram mudanças que nem sempre nos achamos corajosos para iniciar, mas são super necessárias à nossa renovação e aprendizado.

Mesmo que sejamos covardes demais para empreender o projeto ou, mesmo empreendido, que não dê certo, toda essa energia desprendida nunca é à toa. Precisamos entender que essa pode ser uma etapa inical para algo mais à frente.
Toda experiência é válida, basta usarmos as lentes corretas para avaliá-la!

3 comentários:

Rapha disse...

Estupendamente concordo contigo. Nada sera a toa enquanto vibramos a favor de algo ja definido por nos ou ate mesmo ja pela propria vida. Se olharmos bem, nossa vida hoje veremos que nos a fizemos ser tal como ela esta. Sei que nao ha novidade no que estou falando, mas hoje mesmo pensei em planos e coisas assim de como *sera o amanha*... E acima de tudo a o nosso caminho original, onde todos e todas estamos juntos e somos UM. OM. AUM. Rs!
Beijo querida!
LUZ AOS NOSSOS PLANOS!
AOS PLANOS DE TODOS E DE TODAS!
MAIS LUZ!
RS!
Obrigado pelo seu blog, continue sempre!
Fui!

Ricardo Kersting disse...

Oi Helena..

Tudo depende do tamanho do projeto e o que ele significa para cada um.Algumas coisas não podem ficar para mais tarde, pois aí seria o fracasso e isso pode ser a diferença entre ser e não ser. Parece radical né?
Talvez seja, algumas aspirações são do tamanho da vida de quem as nutre e não conseguir atingir o objetivo é o fim de tudo. Não há saldos positivos nem prêmios de consolação..Estou falando de um desejo..Uma paixão incontrolável que nunca pára de latejar..Ela é o próprio pulsar da existência, sem ela não há nada..Há outras vontades que nos acompanham a vida inteira, mas podem ficar para depois ou podem ficar pra sempre no papel.Certamente não farão tanta diferença.
Beijo..

Helena Erthal disse...

Ricardo,
Entendo perfeitamente suas palavras. Essa paixão/ obsessão que alguns (poucos) têm pelo que fazem é algo raro. Que eu saiba (sem ser as grandes figuras da história) só conheci duas pessoas assim: Hans (um amigo falecido) e você. Essas pessoas fazem toda a diferença pro mundo!
beijos