sexta-feira, 29 de maio de 2009

Satisfeitos ? Nunca!

Com a luta diária nos apagamos, enfraquecemos e retornamos ao começo da busca. É como um autorama que nunca acaba e sempre recomeça. Quanta frustração, tristeza e cansaço acumulados nesses dias, semanas, meses e anos... Cadê a ideia máxima de simplesmente existirmos ?! Nos damos sentidos tortos, dissonantes com nossas personas e ainda cobramos coerência em nossas vidas...Coerência em ideias, gestos, decisões ..tem limite, tem um validade indeterminada pois as pessoas mudam, a natureza muda, tudo muda e assim, o que foi um dia coerente de repente passa a ser um absurdo.

Enquanto teimarmos em dirigir nossas vidas em vez de percebê-las, tudo continuará errado e com isso ficamos com nossa alegria de viver embotada. Tudo passa a ser triste, cinza e sem luz. Nada nos atrai ou surpreende mais.
As prisões vão se multiplicando de acordo com que nos algemamos ao que é externo a nós e não procuramos respostas em nosso mundo interior. Desconhecemos sua extensão, sua topografia, suas cores e brilho, preferimos o que entra por nossos sentidos e não o que se percebe internamente e sai em forma de poesia e assombro.

Não vamos mais recomeçar, deixe aquele esboço que já foi apagado e rabiscado tantas vezes. Comece do zero:
Cobrança zero
Medos zero
Desejos zero
Vícios zero
Saberes zero
Somos sementes brotando.....

Um comentário:

Rapha disse...

rs!
concordo em grão, gênero, grau e mais zeros que tudo se poetiza e nos levará ao que real mesmo desejamos.
te ler me faz bem, zen.
abraço