segunda-feira, 6 de julho de 2009

Poesia, sutil equilíbrio

Quando me distancio da poesia me sinto frágil, sem rumo, sem luz...
Esse estar poético é uma distinta dimensão em meu viver,
Necessária à minha renovação e ao equilíbrio do meu espírito.

2 comentários:

Ricardo Kersting disse...

Oi Helena.

Há muitas formas de externar um sentimento. Pode ser com elegância e doçura como fizeste. Muito bonito, lindo texto.
Beijos.

Rapha disse...

quando eu crescer quero também poesia pra mim o tempo todo...
mas acho que já sou assim também...
ai! como me fez bem ler esse negócio poetizado que tu escreveu... me lembrei em Osvaldo de Andrade: " No pão de açúcar de cada dia, daí-nos senhor, a poesia de cada dia "
Abraço